sexta-feira, 16 de outubro de 2009

A MORTE E O CANTE

Morreu Francisco António, o Chico Balhão, grande amigo, homem de bom feitio, entusiasta do cante e amante da campaniça.





















Com ele, o sobrinho Manuel Bento e a Perpetua Maria, vivemos horas e horas de intensa actividade cultural, percorremos o continente, fomos às ilhas e deslocámo-nos ao Canadá, dando a conhecer a sedução dos seus cantes e a magia dos toques das suas violas.

Cantou às vozes enquanto pode e rasgou as cordas até perder a agilidade das mãos.
Sofreu, sofreu, anos sem fim e ontem repousou, finalmente.
Hoje, damos tristemente a notícia.

Fazemos, agora, eco do XIX Encontro de Tocadores de Viola Campaniça e Cantadores de Despique e Baldão que vai acontecer , como sempre, no sábado da Feira de Castro, este ano para homenagear o cantador Florêncio Jacinto.


Temos como companhia, o Grupo Coral “ As Mondadeiras” de Santa Cruz, um coro misto do concelho de Almodôvar que se organizou por ocasião do São João, no ano de 1999, quando a sua freguesia participou num desfile etnográfico .
Primeiro cantaram a sós, conforme podiam e sabiam, mas passados dois anos, o Mestre Manuel Vinagre , passou a ser seu ensaiador, afinando-lhes as vozes, fidelizando os estilos, orientando as entradas.

Ocupam o Centro Cultural do Monte das Viúvas,que estava há muito tempo esvaziado de funções, onde desenvolvem várias actividades, para além dos seus ensaios semanais às quintas feiras.


A sua tenacidade e o prazer que interiorizam, fazem das “ Mondadeiras” mais um exemplo de cultura vida, com uma valia social incontornável, capaz de preencher o grande vazio que se gera em quem mora hoje,nas profundezas deste Alentejo.