quinta-feira, 15 de julho de 2010

A BELEZA DO SIMPLES


Eles e elas, depois dos trabalhos ou quando calhava, a propósito de tudo ou sem pretexto nenhum,armavam uma bailação para se distrairem, para se tocarem, para fazerem família. Bastava um tocador e na falta dele, chegava o cantorio , para animar a festa, fazer a marcação dos passos, dar sentido às voltas e voltinhas que cada dança tinha.