terça-feira, 31 de agosto de 2010

CAMPANIÇA

 

Viola Campaniça nas mãos do mestre artesão, o Amilcar da Corte Malhão
Posted by Picasa

AO AMANHECER


Texto publicado no Diario do Alentejo no inicio dos anos 70.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

CANTAR O ALENTEJO


Grupo Coral " Os Trabalhadores" de Ferreira do Alentejo

AVISO DO EFÉMERO

 

Janela sem vidros, chaminé arrefecida.Nesta terra de idas e chegadas,no erguer e cair das vidas, as imagens sobrepõem-se contrastantes numa espécie de aviso do efémero.
Posted by Picasa

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

40 GRAUS À SOMBRA

 

O sol derrete-se e cai-nos sobre o corpo, queimando como brasas. As ruas ficam mais desertas ainda. Nem pessoas, nem cães, nem vento.Os pombos sufocam e de bicos abertos, procuram alivio para o seu respirar ofegante em frisos de sombra no alto das torres da igreja.
Posted by Picasa

SINA

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O CANTE

 

Foram nossos convidados do Programa Patrimonio de hoje " Os Trabalhadores" de Ferreira do Alentejo, grupo coral constituído em 1963
Posted by Picasa

DR. JOÃO DE BRITO CAMACHO

QUANDO O DESTINO ERA PARTIR


Publicação com quase quatro décadas no jornal "Diario do Alentejo"

SONS DA TERRA

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

terça-feira, 24 de agosto de 2010

CASA DO DR COLUMBANO

 
Posted by Picasa

GENTE DE CÁ

RECORTE

 

Os recortes do casario são traços da fisionomia das nossas terras. Sinais, marcas que as fazem difentes, pormenores que as tornam inconfundíveis.
Posted by Picasa

ABALASTE PARA LISBOA E EU CÁ FIQUEI A CHORAR

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

POESIA E VIOLA CAMPANIÇA

 

Esta noite, no Programa Património, tivemos a companhia do Grupo de Violas Campaniças da Corte Malhão e o poeta popular Francisco Domingos Horta.
Posted by Picasa

ECO DE TEMPOS IDOS


Artigo publicado no Jornal "Diário do Alentejo" no início dos anos setenta.

ARTE E SABER (II)


Da arte e sabedoria dos nossos convidados, retiramos semanalmente momentos de prazer intenso.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010


Há muitos, muitos anos, escrevemos no Jornal "Diário do Alentejo" e agora relemos...

UMA CARETA

 

A miudagem corria-lhe atras pedindo : "Tio Cachopo, faça lá uma careta..." e ele olhava-os primeiro com um olhar doce e depois, transfigurava-se num ápice, provocando nos videntes, arrepios, medos e um espanto que nunca mais lhes passava.
Posted by Picasa

A EXCELÊNCIA DA MODA


"Eu hei-de me ir sentar, no círculo que leva a lua..." assim começa esta lindíssima moda aqui interpretada pelo Grupo Coral e Etnográfico " As Camponesas" de Castro Verde, durante uma sessão de trabalho de ensaio.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

ALENTEJO EM TORONTO


Actuação do Grupo de Violas Campaniças, no ano de 1992, na Casa do Alentejo em Toronto

HERANÇA CULTURAL


Ensaio da moda " A barrinha do meu lenço" pelo Grupo Coral "As Camponesas" de Castro Verde

RETRATO

"Carapinha" posando para o retrato no "Museu Aberto" de Monsaraz
Posted by Picasa

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

BRINQUEDOS


Sem pilhas nem motores, sem chips nem memórias, os brinquedos moviam-se com os nossos gestos e tinham a forma, a dimensão e a magia que a nossa imaginação lhes dava.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

BAILES DE MASTRO


Em Junho de 1999, realizámos um Programa Património com especial incidência sobre a tradição dos bailes de Mastro.Dos arquivos retirámos sons e imagens, testemunhos vivos dessa memória quase perdida.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

PASTOR DA SAUDADE


Poeta Bagacinha

GESTUALIDADES

Voltamos a entrar no Museu de Portimão e ficamos deliciados com a sua exposição permanente, onde é "reinventada" uma industria conserveira, no próprio espaço onde durante décadas laborou uma destacada fábrica do sector. Cada pormenor, cada nesga daquele lugar, levam-nos a imaginar gestualidades, sons e quase sentimentos, ali vividos e agora sugeridos pela exposição.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

PRESIDENTE DA REPÚBLICA


Imagens de um tempo recente, mas que parece terem sido retiradas do principio do mundo.A Republica ainda nem é centenária, mas dela já se perderam as memórias da vida e das gentes suas obreiras. Manuel Teixeira Gomes, foi presidente desta mesma Republica e no Museu de Portimão esta patente ao publico uma exposição sobre a sua acção politica, cívica e intelectual.

RESTOS DO TEMPO


Os objectos, os engenhos, a arte, os artefactos e os artificios que os homens usaram para hoje sermos gente, que se senta à mesa e caminha com o conforto do calçado desenhado por estilistas. Nada nasceu do nada.