quarta-feira, 29 de setembro de 2010

A TIA MARIANA ESPANHOLA NA FEIRA DE CASTRO

A tia Mariana Espanhola veio para estas bandas, muito novinha, fugida com os pais, da guerra civil do seu país. Viveu por cá até ser velha, mas nunca perdeu o linguarejar e o génio andaluzes que tanto contrastavam com a fala branda e a pachorra infinda da vizinhança.
O seu João tinha uma mula e uma carrinha, invariavelmente cheia de palha, para resguardar os barros dos tombos dos caminhos que faziam de feira em feira. Mulher de genica e olho azul, coração nas mãos e sem papas na língua, a Tia Mariana vendia todo o tipo de olaria, pelas terras e em casa, onde a mostrava em exposição organizada por tamanhos, no quarto de fora, logo à entrada, para não dar aso a muitos reparos da freguesia.