sábado, 30 de outubro de 2010

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

NA FORJA

 
Posted by Picasa

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

CANTARES DE ALCAÇOVAS


O Grupo Coral Feminino "Cantares de Alcaçovas" esteve hoje no Programa Património
Posted by Picasa

COBRES E ARAMES


quarta-feira, 27 de outubro de 2010

TODA A BELA NOITE


Pela Feira de Castro

A LAVOURA

 
Posted by Picasa

Lavoura com arado de pau de duas rabiças, puxado por duas parelhas

terça-feira, 26 de outubro de 2010

VINHAM DE LONGE, DOS MONTADOS


Crónica que escrevemos e publicámos no Diario do Alentejo há décadas.

O VITAL

 
Posted by Picasa

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

OH VIZINHA, TEM LÁ LUME


Grupo Coral Feminino de Vale Vargo em actuação no ultimo Programa Património

ALENTEJO

SE FORES À QUINTA NOVA


Pela Feira de Castro

domingo, 24 de outubro de 2010

AS ESCOLAS DO CANTE



Quando há mais de duas décadas esboçámos o primeiro gesto para desenhar a ideia do que viria a ser o nosso grupo coral e etnográfico infantil, estávamos longe de imaginar que o nosso sonho continha tanta oportunidade e probabilidade de vingar.
Lidávamos então, com uma descrença constante acerca do futuro do cante ,forçado a declinar exausto pelo inexorável envelhecimento dos seus cantadores e pela nula renovação dos seus intérpretes. Os novos estavam ,ainda mais arredios do que agora, de qualquer ligação afectiva ou efectiva à moda. Tinha-se chegado ,nos meados da década de oitenta, ao nível mais baixo do crenço pelo cante, quase se desprezava o nosso modo de cantar, ninguém queria vestir a pele da identidade com uma tradição sempre conotada com o trabalho duro e com o suor amargo.
O cante é filho dos campos e das searas . Cresceu no coração dos rurais e impregnou a alma alentejana assumindo plenamente a sua poesia. Emprestou-lhe ,em troca, a sua sonoridade e o ritmo que alonga as sílabas como ecos que se arrastam e procuram chegar ao fim das planícies. Cheira a estevas, lembra lavouras custosas e restolhos curtos.
Deste estigma fogem os aculturados, filhos e netos de ganhões ,agora portadores de outras referencias.
Por isso, o nosso folclore , embora por nós muito querido em abstracto , é também de todos os outros, o menos assumido na realidade, por razões de índole sócio-cultural inconfessáveis mas indisfarçáveis.
Se indagarmos a proveniência sócio-económica e social dos membros dos ranchos folclóricos existentes no país, constata-se uma grande heterogeneidade de origens, ao passo que nos corais, nos nossos grupos , só milita ,por via de regra, gente com uma relação actual ou passada com o trabalho rural.
Confrange-nos ,por isso, a circunstância de num panorama como o actual, em que em termos laborais o peso dos serviços ser tão grande ,ser tão diminuto, em termos culturais, o envolvimento dos seus agentes na dinâmica da interpretação da nossa expressão vocal mais autentica.
Era tempo de se exorcizarem os estigmas e os preconceitos fazendo deslizar o cante para o campo da cultura, tornando a sua interpretação como factor de dignificação e de enriquecimento daqueles que podem fazê-lo.
Era já tempo de se acabar com tanta rejeição à moda, e altura de se entender que por se ser cantador não nos caem os parentes na lama, qualquer que seja os nosso mister.
Pelo contrário, é um gesto de entendimento e de inteligência já que nos interliga com referencias ,marcas e valores que importa abraçar em nome de um reforço da nossa identidade e da busca de um referencial colectivo que precisamos ter.
Mas para que se consiga tornear o actual torpor das mentes, julgamos que o caminho adequado è a criação de escolas do cante que tenham por embrião quaisquer associações e como seus dinamizadores actuais mestres da moda.
Foi assim que procedemos há quase duas décadas, quando em Castro Verde criámos os Carapinhas . Pela nossa escola já passaram centenas de crianças que agora,já adultos , alguns ainda cantam e outros poderão voltar a fazê-lo mais tarde.Mas mesmo que nunca cheguem a integrar grupos corais,conforta-nos a certeza de que a sua atitude face à moda será sempre de grande proximidade e nunca de rejeição ou de aviltamento como por vezes, neste mesmo Alentejo, lamentamos observar.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

À MODA DE CUBA


Pela Feira de Castro

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

AS PAPOILAS DO ENXOÉ

 

O Grupo Coral Feminino de Vale Vargo esteve hoje no "Programa Património"
Posted by Picasa

MODA


Pela Feira de Castro

A VIDA E A MORTE

 

Alentejo
Posted by Picasa

CANTE MINEIRO


Pela Feira de Castro

CAMPO

 
Posted by Picasa

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

DIÁSPORA


Na Feira de Castro

FERRO FORJADO

 

Em Castro
Posted by Picasa

ARRUADA


Grupo Coral Feminino de Rio de Moinhos

RECORTES DO CASARIO

 

Na Rua Diante em Castro Verde
Posted by Picasa

O MINUTO

 

Velho cantarrista e dinamizador dos corais na Amareleja
Posted by Picasa

terça-feira, 19 de outubro de 2010

DE CUBA PARA O CHILE

UMA RARIDADE


Uma raridade. No Monte do Encalho-Ourique , tivemos oportunidade de assistir a um cante à desgarrada, momentos de improviso muito interessante que não vimos repetirem-se de então para cá.

AO PASSAR A RIBEIRINHA

 
Posted by Picasa

OS MINEIROS

 

Desfile pela Feira de Castro
Posted by Picasa

PATRIMÓNIO - O QUE É ?

A MARIANA CAMPANIÇA


Quatro ao Sul , pela Feira de Castro

TORRES DA MATRIZ

 

Castro Verde
Posted by Picasa

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

ARTE NOVA

 

Casa Faleiro em Castro Verde
Posted by Picasa

CADENCIANDO

 
Posted by Picasa

AMIGOS DO CANTE

 
Posted by Picasa

JUNTARAM-SE OS DOIS À ESQUINA

 
Posted by Picasa

A FAZER TEMPO

 
Posted by Picasa

RESPIRAR A TRADIÇÃO


Aconteceu no Encalho-Ourique este cante,onde se juntaram cantadores e toda a população do Monte e arredores para beber os sons e respirar a tradição dos antigos usos do improviso.

NO MEIO DO NADA

 

No meio do nada,entre pastos rasteiros, ardidos pelo sol e massacrados pela seca,da terra árida e sedenta, florescem flores brancas e delicadas, fixando-nos o olhar no imprevisto, desvanecendo-nos a sensibilidade .com a espontaneidade da vida
Posted by Picasa

HOMENAGEM

 

Por votação maioritária dos intervenientes no XX Encontro de Cantadores de Despique e Baldão e Tocadores de Viola Campaniça, no próximo ano, vamos homenagear o cantador LEONEL DAS PERRARIAS
Posted by Picasa

GRUPO VIOLA CAMPANIÇA


Actuação pela Feira de Castro

domingo, 17 de outubro de 2010

ENFEITES NO COLETE

 
Posted by Picasa

BOLOTA

 

Não tarda estão a raiar...
Posted by Picasa

MIRANTES

 

Mirantes da casa da D. Maria em Castro Verde
Posted by Picasa

FEIRA DE CASTRO - PARA O ANO, HÁ MAIS...

 
Posted by Picasa