terça-feira, 16 de novembro de 2010

DESPIQUE - UM FIM À VISTA


No Alentejo sul, nas terras das planuras, surgiu,desolvolveu-se e perdurou séculos, um cante repentista, geralmente acompanhado à viola campaniça, conhecido pelo despique.
Como seu sucedâneo, surgiu mais tarde o baldão, exercitado pelos improvisadores da serra que com maior tenacidade e mais resguardados das refregas da " civilização" guardam ainda, com alguma vitalidade esse seu cantar.
Aqui, no campo, o despique está perdido. Só pontualmente é cantado, à laia de demonstração etnomusical e já não como uso corrente.
As imagens que aqui podemos ver, foram recolhidas no Encontro de Cantadores de Despique e de Baldão da Feira de Castro de 2010 e ilustram, certamente, uma das ultimas ocasiões em que se cantaram, à volta da mesa, cantigas a despique.