sábado, 27 de abril de 2013

TORREÃO

Lá do cimo, vê-se o mundo em redor, devisam-se as serras do algarve e a charneca das terras brancas. É um elemento decorativo  de rara beleza na vila de Castro, tão parca  em luxos na malha urbana.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

MATRIZ DE CASTRO

Sobrepõe-se aos telhados e torna minusculas as grandes chaminés, a igreja matriz faz parte do imaginário de quem nasceu por aqui.

CASTRO À NOITE

Gosto de palmilhar a vila no sossego da noite. Vou comparando o antes guardado em memória com o agora à vista. Assinalo as diferenças e revisito os rostos e os afetos das pessoas que foram amigas.

SENHORA DE ARACELES


sexta-feira, 19 de abril de 2013

SERÃO ALENTEJANO

 No ultimo Programa Património que decorreu em Aljustrel, integrado no projeto "Um Dia Pela Vida", participaram "As Camponesas"
 Tivemos a companhia de Manuel Florêncio , tocador de harmónica
Ouvimos o poeta Bagacinha
 Escutámos  o poeta Manuel Graça
 Apreciámos o cante das Ceifeiras
 Ficámos deslumbrados com os jovens tocadores de viola campaniça
 E aplaudimos o João Pestana

A CULTURA PELA VIDA


quinta-feira, 18 de abril de 2013

sexta-feira, 12 de abril de 2013

FESTAS DO MAIO

Esta noite, no Programa Património , falámos das festas do  Maio em Amoreiras-Gare.
Tivemos conosco Antero Silva e as Vozes Femininas de Amoreiras-Gare

segunda-feira, 8 de abril de 2013

A TRADIÇÃO FICOU MAIS POBRE

MANUEL TERESA
 Era assim chamado, embora o seu nome de batismo fosse Manuel Maria Patricio, morador na Estação de Ourique.
Cantador ao baldão e  a despique, sempre disposto para se afirmar com cantigas rijas e de boa poesia.
A saude faltou-lhe ha tempo e a morte levou-o ontem, deixando no seu lugar um vazio eterno. Com a  familia e com os amigos partilhamos a dor da sua falta.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

POETAS DO PATRIMÓNIO

Esta noite o Programa Património foi inteiramente dedicado à poesia popular. Conosco tivemos o Leonel das Perrarias, O Manuel Mira, o Bagacinha e o Manuel Graça expoentes na arte da rima.

POESIA POPULAR


segunda-feira, 1 de abril de 2013

ROSMANINHO

ROSMANINHO À MESA


 No prato o caldo fumega aroma de hortelã enquanto as sopas vão embrandecendo sem pressa e lhe tomam o gosto.
Do campo donde veio o pão, tínhamos trazido connosco uma flôr de rosmaninho de perfume intenso . . .